Difícil não é sentir a falta de quem nos faz falta.
É pensar no tempo que falta, no tempo que não volta e sufoca, e nas voltas da vida que o tempo nos dá. Fica a esperança de que o tempo aqui me sorria e me traga a vida de volta.
E tem sorrido...


3.12.07

Despertar


http://expresso.clix.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/180043



Aqui tão perto de mim. Aqui mesmo ao lado, mas para além do mal que se vê nas ruas por onde passo e do pequeno mundo que observo através da minha janela.
Isto para mostrar que Angola infelizmente ainda é igual a muitos outros países no que respeita ao respeito pelos direitos humanos.

Para vos mostrar também que o silêncio também aqui ainda é a palavra de ordem. Calar ou pagar por isso.

Por isso julguei que devia divulgar a história aqui, para que nada nem ninguém se silencie. Em respeito pela liberdade de imprensa e de opinião. Sobretudo muito respeito e admiração por quem tem a coragem de abrir para o mundo uma janela que ninguém quer espreitar.

Para o António, um grande abraço.

8 comentários:

Sophia disse...

É infeliz o mundo... é inegável que muitas democracias, apenas o são em nome e não em conteúdo.
Há que ir dando um passo de cada vez para se tentar alterar essa situação.

Baci

Peter disse...

Oi Sophia...
Sim, e infelizmente já soube de muitas outras histórias, em outros bairros de Luanda, cujos relatos são ainda mais impressionantes. Nem dá para contar aqui. E como ao povo falta-lhe a voz, resta-nos a nós despertar um pouco a atenção do mundo e acreditar, para que a passo a passo esta cruel realidade desapareca e se possa falar em democracia.
Beijos

Anónimo disse...

bom dia Pedro,

Parto de Lisboa a 7 de Janeiro.
O meu local de trabalho vai ser na
Av. 4 de Fevereiro, 35/36.

um abraço,

Mário

Orlando Gonçalves disse...

Era bom, muito bom, que certos governantes de certos paises que se julgam democratas e ainda por cima progressistas tivessem vergonha na cara e nao deixassem o seu povo a morrer a fome e sem condiçoes de vida. Realmente para uns e outros andarem de aviao particular e terem grandes mansoes e casas em Paris e viverem a grande, anda o povinho a sofrer a miseria que se ve. Consciencia e solidariedade so para eles, para os grandes. E em terra de cego quem tem olho e rei. Deve de ser o que acontece por Angola. Eu estou a vontade para falar destas coisas porque como comunista que sou mete-me nojo que uma sociedade que na sua constituiçao tem muitas referencias a ser uma sociedade socialista nao seja mais que uma sociedade podre e sem valores, pois so podera haver de facto uma sociedade socialista quando existam melhores condiçoes para todos e onde a riqueza nao esteja na mao de meia duzia de pessoas como acontece ai. Deviam os governantes fazer uma reciclagem e lerem mais os manuais de Lenine e de Marx, talvez aprendam alguma coisa. Infelizmente em Africa isso acontece em muitos paises e as grandes potencias ganham muito com isso. E muito bom que exista gente que va denunciando estas situaçoes mesmo que para isso tenha que sofrer na pele certos maltratos. Esta eu nao podia deixar de comentar, e desculpa a falta de acentos mas o computador nao me esta obedecendo.

António Cascais disse...

Obrigado pela solidariedade que tenho vindo a receber de práticamente todo o mundo... Obrigado ao Pedro, que desde a janela do seu "hotelluanda" tem vindo a descrever de uma forma lírica e bonita a sua realidade angolana. Obrigado ao Rafael que tem vindo a acompanhar a minha odisseia angolana à distância, desde Londres. Obrigado ao marcel, que combate, neste momento, noutras frentes. Obrigado ao Padre Mario pelas palavras de conforto que me enviou desde a sua aldeia minhota...
Eu vou continuando a dar o meu melhor, um pequeno contributo para a liberdade de imprensa neste maravilhoso país Angola.

Para os que sabem alemão aqui fica o site do meu diário angolano. Para os que não dominam o alemão fica aqui a promessa: Quando tiver tempo - um dia destes - irei publicar o meu diário também em português, em iglês...

http://www.antoniocascais.net/angola07/angolanisches_tagebuch.pdf

um abraço

Peter disse...

Oi Mário!
Feliz por te poder depois encontrar por aqui. Enfim, mas chegarás primeiro do que eu...
Abraço, até já! :)

Peter disse...

Querido Orlando,
São estes desequilibrios sociais que tendem a agravar-se com o passar dos anos e com a continuidade dos mesmos estadistas ou governantes. É o que acontece em Angola, mas também como dizes em muitos outros países de África e América latina também... Mas sabes, não são políticas, são costumes e a própria cultura.
Mas temos de ter fé... as eleições aqui serão no próximo ano e já se vêem algumas atitudes positivas para conquistar o povo (os votos, melhor dizendo).
Haja fé. É sempre assim, camarada :)

Peter disse...

António,
Fico muito feliz por toda esta onda de apoio que se formou á tua volta. Só prova que afinal há muita gente que espreita contigo através da janela que tão corajosamente abriste.
Eu serei sempre um deles!
Um abraço de até breve.

Blog Directory - Blogged